quarta-feira, 28 de julho de 2010

arroz, simples assim

vou, sim, ensinar uma receita de arroz, purinho, branquinho, sem nenhuma alegoria, pois, muita gente não sabe ou não acerta cozinhar o grão amigo de cada dia - no brasil é inimaginável uma mesa sem o arroz.
o arroz é um cultivo, fundamentalmente, asiático. no japão, o arroz é cultivado há muito tempo, aproximadamente 7.000 anos e nas filipinas, os arrozais de banaue, existem faz 2000 anos. os terraços para o cultivo do arroz em banaue, são enormes degraus esculpidos nas montanhas de ifugao, a 1500 metros acima do nível do mar, que se extendem por quase 11000 quilometros quadrados, e os filipinos referem-se a eles como a oitava maravilha do mundo. se os degraus fossem colocados lado a lado, cercariam metade do nosso planeta.
a plantação de arroz em terraços é uma das imagens mais confortantes e bonitas de olhar, e a planta dos arrozais é suave e agradável. a bela paisagem dos arrozais em terraços são para o planeta, uma inestimável herança ecológica.
tanto lá como cá, as formas de plantio variam. elas bailam entre o cultivo irrigado em terraços abertos, feitos em montanhas íngremes, o plantio e colheita com as mãos em lavouras irrigadas com o auxílio de baldes, cuja produção por hectare ultrapassa a brasileira, e a nossa, totalmente mecanizada.
o nosso país é o nono lugar na produção mundial de arroz irrigado e está no rio grande do sul, 85% da produção nacional.
a quase totalidade da população mundial sobrevive com o cultivo do arroz, seja como fonte de renda, trabalho ou alimento. o arroz é parte fundamental na cultura de muitos povos pros quais ele é razão de festejos, simboliza abundância, vida, fertilidade, artes plásticas, música, religião.
no japão, os arrozais, sustentam uma arte espetacular que pode ser vista aqui, em fotos batidas por um bloggueiro perdido no japão - o alexandre - que eu achei pra apresentar a vocês. abram o link - aqui - e leiam as legendas das fotos, que dizem como funciona essa maluquice de arte em arrozal.
japão, um país tão pequeno, com idéias tão colossais.
um pais como o japão, montanhoso, um arquipélago composto por pequenas ilhas, vive daquilo que retira da natureza, ou seja, peixe e arroz.
a melhor referência dessa combinação é o sushi, alimento delicioso preparado com aqueles dois ingredientes.
no princípio, o sushi consistia em deixar o peixe embrulhado no meio do arroz, durante meses, para fermentar. é desse processo que deriva o sushi que se come hoje. muitos restaurantes em tokyo ainda servem assim, o sushi original ou nare-sushi, feito com carpa de água doce. deixar de ser uma forma de conservação do peixe, e passar a quitute apreciado no mundo todo, aconteceu no início do século XX.
as receitas para o preparo do arroz variam de povo pra povo, de casa pra casa, depende de cada cultura, de cada gosto ou dos caminhos que elas percorrem para que sejam disseminadas.

medidas:
concha = sopa
colher = sopa

duas conchas de arroz. lave e deixe escorrer por uns 5 ou 10 minutos. ponha na panela com 2 colheres de óleo. deixe fritar, em fogo médio, até que fiquem sequinhos, soltos uns dos outros - eu chamo isso de pururuca. acrescente duas colheres, fartas, do meu tempêro. sinta o cheiro nessa hora ... é demais!!! refogue por uns 5 minutos, mexendo sempre, atentamente. coloque 4 conchas de água, fria, ou seja, 2 vezes cada tanto do que vc colocou de arroz. coloque um pequeno punhado de sal e experimente. ficou legal??? ótimo!!! ficou sem sal??? vá pondo aos poucos até ficar do seu gosto. deixe cozinhar com meia tampa e fogo médio até que quase seque. quando estiver quase seco, desligue, tampe a panela, enrole num pano e guarde no forno até servir. para um resultado melhor ainda, depois que refogar com o meu tempêro, antes da água, desligue o fogo e deixe descansar por uns 40 minutos. passado esse tempo, coloque a água e ligue o fogo, médio. o cheiro, durante o a fervura é delicioso.
é isso.

Nenhum comentário: